quarta-feira, julho 25, 2007

O TRISTE FIM DOS CÃES ABANDONADOS

Os cães de estimação fazem parte da vida de muitos humanos e, em alguns casos, acabam sendo considerados como membros da família. Algumas pessoas, tão satisfeitas com o alto-astral provocado por esses animais, acabam adotando vários para o convívio familiar.

É o caso da dentista e jornalista Marisa Lyon, que cria seis cães e os considera como filhos. O maior sonho dela é abrir um orfanato para cães. Assim ela poderia adotar um grande número deles, evitando que ficassem vagando pelas ruas. “A amizade mais sincera que temos é a dos bichos”, diz Marisa.

Já os cães que não têm a sorte de ter um lar, recebem um fim muito triste quando são capturados e levados para o canil da prefeitura. Em Ibirité, região metropolitana de Belo Horizonte, 200 cães, em média, são capturados por mês e levados para o canil da prefeitura. Ali esses animais ficam à espera de que seus donos apareçam, para livrá-los do aterrorizante fim que lhes é imposto, a eutanásia. Os cães, mesmo estando ali destinados a morrer, recebem a assistência de uma veterinária e são bem alimentados. Depois de capturados pela “carrocinha”, eles precisam ficam três dias no canil, como determina o código de postura municipal e estadual, prazo em que alguns ainda têm a felicidade de serem procurados por seus donos e retornam para casa.

A poucas horas da morte, cães amontoados aguardam a sua vez

A população canina é significante em todas as cidades. Segundo Carlos Roberto da Silva, 48 anos, supervisor geral do Centro de Controle de Zoonoses, foram vacinados 21600 cães em 2005 somente em Ibirité e a previsão para 2006 era de 23000 animais.

Cuidados com a alimentação do seu cão:

Filhotes a partir de 45 dias de idade: ração para filhotes certamente é a melhor opção. Existem muitos tipos (secas, semi-úmidas ou úmidas), sabores (carne, frango, carneiro, fígado, etc.) e marcas no mercado. Na primeira consulta, o veterinário recomendará o tipo de ração que você deverá fornecer ao filhote. A quantidade de ração a ser dada varia com a raça e o peso do animal. Os fabricantes de ração, na própria embalagem do produto, fazem a recomendação da quantidade ideal. Mesmo que o filhote rejeite a ração, insista. Lembre-se que os filhotes comem menos à medida que vão crescendo. Não fique tentando oferecer outro tipo de alimento como carne e arroz, isso só vai piorar. Misture ração úmida, em latinha ou sachê, junto com a ração seca para torná-la mais atrativa.

Cães a partir de um ano de idade: ração para cães adultos: seca, úmida ou semi-úmida, duas vezes ao dia. Você pode misturar ração seca com ração úmida, seguindo a proporção indicada pelo fabricante.

4 comentários:

Maly disse...

É preciso lutar contra essa maldita carrocinha. Os cães são seres vivos como qualquer pessoa e somente Deus tem o direito de tirar a vida de alguém. Precisamos combatê-la, pois são pessoas desumanas, que não têm sentimentos!Se as autoridades são contra a pena de pena e contra a eutanásia para doentes que ficam sofrendo em um hospital por que são a favor de matar os cães! Todos são filhos de Deus igualmente!

Parabéns pela matéria, Ruither! Pena que ela me deixa muito triste.

Abs

Cláudia Zin disse...

Ruither, em se tratando de cães, me comove muito, tenho minhas histórias junto a esses animais adoráveis.
Também lamento muito toda essa atrocidade.
Sua matéria ficou ótima, parabéns!
Sempre que eu puder estarei aqui para ler e comentar.
Um abraço
Cláudia Zin

Anônimo disse...

Adorei a sua reportagem, é muito legal o seu interesse com estes cães.
Eu adoro cães, e axo que você também.
Parabéns pela reportagem e continue evoluindo.
Um abraço da Georgia.

Anônimo disse...

O problema não é a carrocinha, ela deve existir, imagina qtos cães abandonados estariam na rua, passando fome, sede, sendo atropelado, e ferido, prefiro uma morte indolor a ficar nessa situação pro resto da vida. A carrocinha é um mal necessario, mas uma solução melhor é castração dos cães. Diminuindo assim o numero de animais abandonados.