quinta-feira, março 20, 2008

DESEMPREGO É PREOCUPAÇÃO MUNDIAL E SINE/BH ORIENTA TODOS OS CANDIDATOS

Especial para o Jornal Edição do Brasil Publicado na edição n° 1307, de 16 a 23 de março de 2008

Um dos grandes problemas enfrentados pela humanidade ao redor do mundo nas últimas décadas é a questão do desemprego. Situação que piora a cada dia, principalmente nos países subdesenvolvidos. Este fenômeno é visto com p
reocupação por dirigentes de diversos países, que tentam minimizar o problema, cada um a seu modo.

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a taxa de desemprego mundial ficou em 6% em 2007, embora o número de desempregados tenha sofrido um aumento de 2,9 milhões. Já na América Latina, a taxa atingiu 8,5% da população.

As previsões da OIT para este ano não são muito satisfatórias. Devido à crise no setor de financiamento imobiliário nos Estados Unidos e a contínua alta do petróleo, o mundo poderá fechar 2008 com mais cinco milhões de desempregados. Por outro lado, estima-se que sejam criados 40 milhões de novos postos de trabalho este ano.

No Brasil, a taxa de desemprego nas seis principais capitais ficou em 9,3% em 2007, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda assim, trata-se da menor taxa desde 2002, quando se deu início à pesquisa em São Paulo, Rio de Janeiro. Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre e Recife.

Em Belo Horizonte, somente na agência do Sistema Nacional de Empregos (Sine), na Praça Sete, cerca de 1500 pessoas, em média, comparecem diariamente na esperança de conquistar uma vaga de emprego. Segundo Jane Maria de Fátima Coutinho, 53 anos, diretora de atendimento ao trabalhador, os candidatos fazem um cadastro e, na medida que as empresas disponibilizam as vagas, o Sine busca a pessoa com o perfil adequado. Para cada vaga, são enviados três candidatos.

Jane diz que o Governo de Minas tem se preocupado com os altos índices de desemprego no estado. Um exemplo é o Programa de Competências Básicas para o Trabalho, iniciado em 2004. Este programa visa aumentar as possibilidades de o trabalhador desempregado ser re-inserido no mercado de trabalho através de palestras que abrangem vários temas, como o resgate da auto-estima, participação em entrevista, elaboração de currículo etc. Além disso, o Sine ministra um curso de informática e aulas do Telecurso, tudo isso sem nenhum ônus para o trabalhador.Jane lamenta que as pessoas partam em busca de trabalho em outros países

A diretora do Sine diz ainda que, em alguns casos, a capacitação profissional não é suficiente para que o candidato seja contratado. Leva-se em conta a questão do local onde ele mora, quantos vales-transporte necessita, quanto tempo gasta para chegar ao trabalho etc. Para Jane, o objetivo do Sine não é somente inserir as pessoas no mercado de trabalho. Existe também uma preocupação com a questão da cidadania e o aumento da auto-estima dos candidatos.

Para ajudar na motivação do candidato o Sine disponibiliza onze cartilhas com diversos temas, como Cliente Satisfeito, Os desafios da Juventude, Relações Humanas e éticas, Saúde e segurança no Trabalho etc.

Jane argumenta que é lamentável que alguns brasileiros partam em busca de trabalho em outros países. Segundo ela, a pessoa deve se dispor a fazer o que sabe, e não ficar escolhendo. Ela cita exemplos de pessoas simples que vendem doces nas ruas. A diretora diz que, se não é possível encontrar um trabalho fixo, é necessário que a pessoa tome uma iniciativa e busque uma maneira informal para manter a sobrevivência da família. E que os pais devem instruir os filhos desde crianças para serem bem educados, terem disciplina e saberem dos seus limites. Isso o ajuda, quando adulto, na hora de concorrer à uma vaga de emprego. “A profissão começa no berço”, conclui Jane.

A diarista Francisca Rosinete de França, 32 anos, elogia a iniciativa do Programa de Competências Básicas, citado anteriormente. Com o segundo grau completo e desempregada há mais dois anos, ela está fazendo o curso de informática no Sine.

Francisca, que já trabalhou antes como babá, espera que, com os conhecimentos adquiridos no curso, ela possa ter boas oportunidades e maiores chances de conseguir o tão sonhado emprego. “Bom demais! Vai me ajudar muito”, diz Francisca otimista. O atendimento do Sine na praça Sete é de 2ª a 6ª feira, das 07:30h às 17:30h.

Um comentário:

Rodrigues Bomfim disse...

Amigo Ruither,
Grato pela visita e ainda mais por ter gostado do blog. Espero que retorne mais vezes,ok?
..Tbm gostei do seu blog.
No Brasil o problema do desemprego nem é a falta de emprego, é sim, a falta de mão de obra qualificada que advem da falta de investimento em educação técnica profissionalizante. O ensino médio está tudo errado, deveria ser ensino médio com pós-técnico, em todos os niveis de ensino. Hoje milhões de jovens terminam o ensino médio sem nenhuma profissão, sem nenhuma perspectiva profissional...Um abraço e volte sempre.